Boletim Econômico Semanal - 22/11/2021

Boletim Econômico Semanal: “Câmbio sem Fronteiras – Treviso” – edição 22/11/2021.

Por: Economista REINALDO CAFEO.





A semana passada foi marcada pela volatilidade nos mercados acionário e cambial. No âmbito político repercutiu negativamente a indicação do presidente Bolsonaro, de que uma vez aprovada a PEC dos Precatórios ele estaria disposto a reajustar os salários dos servidores públicos federais. Novamente o risco fiscal foi a principal ameaça com esta sinalização. Vale destacar que o montante anual gasto com a folha dos servidores federais é de R$ 300 bilhões e aumentar os ganhos em 5%, por exemplo, implicaria em custo adicional anual de R$ 15 bilhões.


No contexto econômico a prévia do PIB, o IBC-Br veio negativo em 0,27%. Já o Ministério da Economia refez as projeções para a economia brasileira: PIB crescendo menos este ano ficando em 5,1% diante da projeção anterior de 5,3%. Para o ano que vem revisão para baixo também: agora 2,1% diante de 2,5% da projeção anterior. Para inflação a previsão agora é de 9,7% para este ano (diante de 7,9% - previsão anterior) e 4,7% para o ano que vem. Antes a projeção indicava 3,75%. O próprio presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sinaliza preocupação com a inflação de 2022 e afirmou que se houver crescimento na casa de 1% o ano que vem, com taxa Selic de dois dígitos, a dívida pública crescerá significante.


No exterior a pandemia voltou a interferir no preço das commodities e no desempenho das principais bolsas mundiais. Medidas restritivas na Alemanha, lockdown na Áustria, são alguns exemplos de decisões no tocante ao aumento de casos de covid-19.


Boletim Focus: divulgado esta manhã pelo Banco Central indica as seguintes projeções para os principais indicadores econômicos:

Inflação: 10,12% para este ano (semana passada mercado projetava 9,77%). Para o ano que vem: 4,96% (diante de 4,79% da semana passada).

Taxa Selic: em 9,25% na virada do ano, idêntica a projeção da semana passada. Para o ano que vem o mercado projeta Selic de 11,25% na virada do ano (11,0% foi a projeção da semana passada).

PIB: em 4,80% neste ano (projeção anterior 4,88%). Para o ano que vem o crescimento econômico previsto é de 0,70% (projeção anterior 0,93%). Em relação ao dólar o mercado consolida o patamar de R$ 5,50, mantendo esta previsão tanto para virada do ano passado como para o ano que vem. Agenda semana: principais indicadores – 2ª. feira – Receita Tributária Federal (BRA); 3ª. feira: PMI Industrial (EUA), Estoques de Petróleo (EUA); 4ª. feira: Índice de Evolução do Emprego – CAGED (BRA), Confiança do Consumidor (BRA), PIB Trimestral (EUA), Pedidos de Desemprego (EUA), Fluxo Cambial (BRA); 5ª. feira: Feriado nos Estados Unidos, Dia de Ação de Graças, Dados das Transações Correntes (BRA), IPCA-15 (BRA); 6ª. feira: Lucro Industrial (CHI). No ambiente político acompanhar as discussões em torno da PEC dos Precatórios no Senado Federal e ainda novos pronunciamentos de Bolsonaro no tocante a sua filiação partidária e esclarecimentos sobre o anúncio de eventual aumento salarial dos servidores públicos federal.


REINALDO CAFEO – Economista Diretor da RC Soluções em Gestão – Associada Regional da Fundação Dom Cabral. contato@reinaldocafeo.com.br

Posts Em Destaque